China: 90% da População Adulta tem Intolerância à Lactose

Muitas empresas europeias olham com crescente expectativa para as economias emergentes da Rússia, India, China e Médio Oriente. Geográfica e culturalmente distantes, estes mercados são muitas vezes comercialmente abordados segundo os parâmetros ocidentais, ignorando o contexto local.
Li esta semana uma notícia na Monocle (issue 70, February 2014) que indicava que mais de 90% da população adulta na China tem algum grau de intolerância à lactose. É para mim uma percentagem inesperadamente elevada, que obviamente limita a penetração de empresas lácteas no mercado.
Surpreendentemente contudo, o segmento dos queijos está em expansão, apresentando um aumento de 22% durante 2012.
Na base deste forte crescimento está o trabalho comercial realizado pela Neozelandesa FONTERRA que encontrou nesta “barreira natural” uma oportunidade de apresentar produtos diferenciados dos tradicionais líderes mundiais no sector de França e Itália. Como recompensa do sucesso no desenvolvimento de gama de produtos ajustado ao perfil do consumidor chinês, a empresa lidera destacada o segmento apesar dos recentes escândalos de segurança alimentar com produtos lácteos.
É um exemplo do mundo alimentar que encontra paralelo noutras indústrias.
A distância geográfica e cultural que nos separa dos principais mercados emergentes pode hoje ser encurtada com informação disponível em vários sítios de referência como AICEP, CIA ou junto das embaixadas destes países. O conhecimento do contexto local do nosso segmento do negócio é determinante para definir prioridades de atuação e identificar oportunidades de negócio.
 
Mapa Mundial de Intolerância à Lactose (fonte CHR Hansen)
http://www.chr-hansen.com/products/product-areas/enzymes/introduction-to-dairy-enzymes/lactase.html
 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *